Lisboa

“Lisboa não é boa sem ti por cá. Ando muito à toa, sem ti por cá. E sinto, quando desço ao Rato, que és a única sacana na cidade que me pode aturar.

E Lisboa não é boa sem ti por cá. A baixa não tem coroa sem ti por cá. E eu sinto, quando estou no Chiado, que és a única sacana na cidade que me pode salvar.

E eu perdi uma amiga, perdi uma heroína, mas por ti, miúda, eu sei que voltaria. E eu perdi uma amiga, perdi uma heroína. Mas por ti, miúda, eu sei, que voltaria.

Lisboa não é boa sem ti por cá. Ando pelas lonas, sem ti por cá. E eu sinto, quando vou de carro que és a única sacana na cidade que me (a única sacana na cidade que me; que és a única sacana na cidade que me) pode perdoar.

E eu perdi uma amiga, perdi uma heroína. Mas por ti, miúda, eu sei que voltaria. E eu perdi uma amiga, perdi uma heroína.

Mas por ti, miúda, eu sei que voltaria.”

Tradução (médio-livre) de “New York” de St. Vincent, do álbum MASSEDUCTION, Loma Vista Recordings, 2017.