Spring brake blues

(As pessoas voltaram, e a cidade reiniciou-se. Dizem que vem frio, dizem que vem chuva — dizem que ainda vem pelo menos mais uma dose de neve. Estou aqui, afundado pelo cansaço, na minha cama enorme, perante o grande pé direito do meu quarto. É de noite e entra uma luz muito clara pelas aberturas dos estores; é de manhã e a luz continua clara mas mais encorpada, boa para uma fotografia analógica. Lembra-me uma série de fotografias de Richard Misrach, ou um quadro de Helen Frankenthaler. Mas aqui, exposto para minha consideração, em minha casa. Continuo deitado, apreciando a simples certeza deste cenário. Mais um dia que se inicia, mais uma dedicação que se propõe. E continua tudo tão calmo, tão vivo e tão provocador, deste lado do azul.)