Oração diária

Faz do teu dia um trabalho, dedicado e devoto. Faz dos teus olhos uma ferramenta, uma porta, e uma janela. Sobretudo, saboreia os descansos que consegues ter para te enriqueceres, seres provocado, procurares de forma mais profunda, e descansares. E quanto ao resto enfrenta-o, com força e serenidade, humor e compaixão, aberto mas justo. Se preguiçares, compensa duplamente. Pensa, e se sentires que sim, e que deves, age. Se não, mantém-te no silêncio e no espaço onde estás. No final recolhe-te, e agradece o que aconteceu e te foi dado. Abre-te por completo, assume-te como foste, como estás. Pede perdão e perdoa, por mais difícil que seja. Ou pelo menos tenta, e promete que tentarás com mais força no dia seguinte. Chora, se estiveres em sofrimento; sorri, se estiveres alegre. Ou então deixa-te estar, somente, e olha em redor. Vê onde estás, o que te protege por estes instantes. Fixa as paredes, as janelas, a pouca ou nenhuma luz que te rodeia. Fecha os olhos, se preferires. Pede força e sabedoria. Agradece, mais uma vez, pela simples e difícil beleza das coisas. Depois fecha o dia como se lhe desses um bom abraço de despedida. E dorme, porque de manhã recomeças com o amor e a verdade como mínimos. Aproveita.