Pela Estrada, episódio 29: Uma aventura surreal numa noite de Verão

Passatempo Pela Estrada: final

Menção hinrosa (prémio literatura Michigan)

M. é uma mulher na madrugada: a sua aurora é hoje o milagre de a cada passo mover-se mais perto de si. W. é por ora um invés distante, sentido contrário da mesma estrada, poente de mil sóis. Ambos a caminho – impermanentes – amanhã, quiçá, mutantes. Maravilhem-se os migrantes! É pela estrada que o mundo é.

Menção honrosa (prémio Chicago)

Os homens são mínimos por comparação com outros mamíferos commumente mastodônticos. É impressionante o impacto que estes animais deixam neste mundo, mesmo sendo assim, umas meras miniaturas.
Mas o que motiva estes seres intrinsecamente maus a marcar a nossa morada? Com que fim?
Admito que a humanidade mortal não contemple as suas marcas. Genuinamente incompetentes…!

Vencedores (prémio vinil)

1.
Menino Martinho, o momento quase melómano em que nos mexemos para ouvir o teu magnífico manifesto, aqui mesmo junto à Manteigaria, é magnifico-maravilhoso.
A magia (a milhas deste mundo, para lá do Michigan, das montanhas que parecem maybe Marte) mata-nos de maluca e misteriosa inveja.
2.
Mexemos nas malas à espera dum milagre que nos mova — mas mandamos esta missiva para esse mapa mui maneiro, meu marado!
Fezes magia, Mago Martinho, mandando-nos do Minho ao Michigan, ao Novo México e mais.
Essa misturada, esses malabarismos são um milagre que só um maluco magicaria. O máximo!!!
3.
O Miguel foi de mota para Marfa julgando que era Mafra? E Marine&Matisse (Mathias?), esses miúdos franciús, são todos teus manos? É malta ao nível do maestro? Não vão à missa mas são militantes dos rooftops, magníficos modelos de céu.
My man, moramos na tua futura morada, miradouro máximo deste lado do mar.
4.
Por isso, mama o malte, mas mede meticulosamente os monstruosos excessos (malte mais McDonalds) e vem daí magro para voltares à merenda, à meia-de-leite e à malga de vinhão. (Mas se fores mal sucedido, manda uma mijinha à meia-noite).
Que esta mensagem te chegue como uma massagem aos teus músculos maçados de tantas main streets.
5.
O vale Monumental traz à memória mulheres, meninas, mães. Mexe-te atento ao movimento do mundo, que atrás da musa há uma mulher. Mais ou menos…
Debaixo do seu chapéu-memória o mister Martinho-manupela é o mentor da M-team.
Deste Marrocos meio europeu, nos despedimos esperançosos de merecer essa mecânica música de museu.
Ah, e mais: “muita-merda”!