Twin peaks

Ainda não acabei a segunda temporada nem comecei sequer a terceira. Já devo ter visto a primeira umas sete vezes. Gosto sempre de regressar. Não é o lugar mais agradável, nem o mais bonito. Há violência, há incompreensão, há mistério, etc e etc. Mas há vida. Tanta vida. Os dias são melhores do que os sonhos, mas os sonhos, nas suas loucuras inexplicáveis, são uma boa forma de sentirmos a vida, na sua realidade mais possível. Há trinta anos atrás estreou a melhor série de sempre, sobre um mundo completamente aparte e imprevisível. Caindo, sempre, no imprevisível, provocando, com a sua irrealidade, a nossa própria. Agora vou ver se vejo o resto.