Sobre pensar (demasiado) nas coisas

I’m Thinking About Ending Things é um filme puxado. A primeira metade corre a um bom ritmo, com imagens e diálogos extraordinários, e uma mise-en-scène que constrói muito bem uma tensão absorvente (excelentes atores, quer o casal quer os pais do namorado). Mas na segunda metade o suspense puxa em demasia, ao ponto de se tornar extenuante. A necessidade de encontrar pistas e simbolismos aumenta estupidamente, e a narrativa acaba por se fechar e concluir de maneira demasiado reduzida face a toda a carga que vinha de trás. Há momentos que esta trip misteriosa a um subconsciente pesado se assemelha aos melhores devaneios lynchianos, embora peque, no final, por ao contrário destes, estar sempre a tentar (com muita força) pôr o pé no chão. Ainda assim, é bom ver Charlie Kaufman de volta ao ativo, sempre pronto para nos levar em novas viagens.